10.1.06

MALDITO MURPHY

Não, esse texto não é sobre aquele macaquinho lançado pela Estrela que arrotava quando você o apertava.

É um post sobre o outro Murphy. Aquele que disse que "Se alguma coisa pode dar errado, dará".

Por que eu tô escrevendo isso?

Bom, eu ontem tava com meu tempo contado e, em uma hora de almoço tinha que ir comer, sacar dinheiro e passar em outro banco para fazer um depósito identificado. Beleza!

Desci e saquei o dinheiro no caixa dentro da empresa mesmo. Saí, e começou o meu martírio.

Calor escaldante. O primeiro lugar que fui estava lotado, me fazendo ir para um outro restaurante que não curto muito.

Cheguei lá. Fila pra entrar. O meu combinado de sushi veio errado. Fila pra sair. Máquina do Visa Vale com problema. Aguarda. Consegue e rua!

Na rua, parece que todo mundo vê a sua pressa e fica na sua frente, resolvendo não te deixar passar.

No outro banco. A única função que o caixa automático não faz é a que você deseja. E você só descobre isso quando enfrenta uma fila de duas pessoas e o atendente diz: "Ih! É mesmo... Me desculpa... O senhor terá que fazer isso no caixa!".

Nova fila. umas 20 pessoas na sua frente. Apenas dois caixas, já que um deles foi almoçar na hora que você entrou na fila. Na sua frente DOIS office boys com um monte de contas.

Quando você está prestes a ser atendido, eis que surge um batalhão de velhinhas e o único caixa tem dar vez a elas. Mas você é, finalmente, atendido.

Volta pro trabalho. Bebe água. Se baba, ficando todo molhado, porque alguém abriu a porta e não te viu ali, porque tava andando de costas.

E-mail com problema. Seu acesso de casa foi suspenso por um erro de sistema.

Mas, no final de tudo, você vê que deu tudo certo, mas ainda assim não deixa de olhar pro céu e exclamar: "Ah! Murphy!".

Ao som de Ouro de Tolo, com Caetano Veloso.

Um comentário:

Didi disse...

Isso daria um bom roteiro de filme, pense nisso!