18.1.06

"MIM QUER TOCAR, MIM GOSTA GANHAR DINHEIRO"

É... Dizem que o brasileiro não tem dinheiro pra comer e pra se educar em colégios, mas essa teoria vai toda por água abaixo de vez em quando.

É só olhar que os clássicos futebolísticos nos Maracanãs, Pacaembus, Mineirões e Fonte Novas da vida estão sempre lotados. É um tal de gente sem dente e feliz que eu nunca vi igual! O pobre vende o almoço pra comprar a janta, mas quando o assunto é futebol... A coisa muda! É sagrado!


Por que eu tô dizendo isso? Não quero falar de futebol, nem nada! A coisa é que, desde segunda-feira estou meio assustado com a situação da compra de ingressos para o show do U2 em São Paulo. E olha a cara de felicidade do gordinho nessa foto que saiu no site da Oi! Feliz por estar na fila...

Tudo bem que eu não sou fã, mas nunca subestimei a banda em termos de quantidade de fãs e/ou fanatismo dos mesmos. O que é um absurdo é ver aquele monte de gente se estapeando e desesperada pra conseguir um mísero ticket pra conseguir ver sua banda favorita de perto.

Confesso que minha reação quando soube que eles viriam ao Brasil foi um simples "Ah, é? Legal!". Fiquei feliz pelo Brasil estar novamente na rota dos mega shows. Pearl Jam, Stones e U2 num intervalo de 3 meses! UAU!

Mas não é bem assim!

É triste ver que tem gente passando fome e, no mesmo quarteirão, onde mendigos se amontoam todos os dias aqui no Rio de Janeiro, ver uma fila com mais de 3000 pessoas que viraram noite e estão dispostas a gastar R$ 200 num ingresso!

Eu não gosto de criticar ninguém, pois acho que faria o mesmo se fosse o sir Macca...

Mas é um descaso dos organizadores com o público. Foi a mesma coisa em 98, quando eles fizeram o primeiro show aqui. Até hoje eu tenho uma bronca deles. Fiquei uma hora na fila, debaixo de chuva em pleno meu aniversário de namoro. Só pra comprar ingresso pra minha cunhada e seu namorado. Eu nem ia ao show! Depois, eles "organizaram" tanto que o trânsito deu um nó! Sem contar que, depois, eles voltaram pra divulgar um disco e eu trabalhava no aeroporto. Preciso dizer o caos que ficou a área de embarque? Não a toa, fiquei com certa hojerizah da banda...

Ok, ok... Admito até que eu admiro o Bono. O cara é boa praça. Um cara das boas causas e certinho. Mas acho o The Edge um tremendo dum enganador tocando guitarra. Mas... Opiniões...

Eu sei que, resumindo, a única coisa que me vem à cabeça é: "Quanto desocupado...". 200 pilas num show que será em plena segunda-feira! Depois dizem que baiano é preguiçoso! Porra! Já esgotaram os ingressos e vão colocar ingressos do segundo show (na terça) a venda!

Imaginando que o show deve começar umas 20h, vai ter gente desde domingo lá no estádio. Coisa de desocupado.

E se, por acaso, tivessem colocado ingressos da tal Hot Zone a venda por R$ 1000, como fora citado antes, iam ser os primeiros a esgotar, com certeza... E a miséria continua...

O que mais me incomoda é ver gente que até gosta dizer: "Cara! Vai ser o show da minha vida! A melhor banda do mundo!", mas nem se esforçou pra ir quando eles vieram há alguns anos. E o ingresso era uns 200% mais barato. É moda...

Bem fazem os Stones, que tem fama, nome e dinheiro. Resolveram se dar o luxo de fazer show grátis pra gravar DVD em plena praia de Copacabana. Não que o U2 não possa fazer o mesmo, mas a culpa não é deles e, sim, da organização do evento, como já falei.

Deixo claro, que, apesar de não curtir toda a discografia, até escuto. E mais: Não critico os fãs, pois como falei, faria o mesmo pela banda/cantor(a) que eu admiro.

Mas, que é coisa de desocupado ficar em fila, gastar 200 pilas e ver show numa segunda-feira... Ah! Isso é, sim!

Por isso, vou fazer programa de índio 2 dias antes. Vou a Praia de Copa, verei os Stones de longe, no meio dos vendedores de Matte Leão e entrarei na fila e venderei minha família pra comprar ingressos assim que anunciarem novo show do Paul por aqui!

Ao som de Quando, com Barão Vermelho.

5 comentários:

Ariett disse...

Ah, Dantas, me desculpe, mas falar de diferenças sociais nesse caso, só se você comparar os mendigos com o Alexandre Accioly. A galera que quer ver o U2 (eu me incluo nessa) considera que os R$ 200 valem o show. Só isso. Se os Stones querem fazer o show deles de graça, na praia, ótimo. Eu também ia adorar se o Bono quisesse. Mas de qualquer forma, eu acho que o show do U2 vale até os R$ 1000 de ingresso, sim.

Ma admira você, que é músico, dizer uma coisa dessas. Eu valorizo os artistas que eu gosto.

Não sou rica, mas pago por coisas que eu considero que vale a pena, o que é o caso desse show. E, sinceramente, acho que isso nada tem a ver com a questão da desigualdade social do Brasil. O buraco é muito mais embaixo.

Dantas disse...

Mas, em momento algum eu disse isso.
Deixei claro que o problema é dos contratantes e organizadores que resolveram tirar todos os centavos dos fãs...
Eu faria o mesmo pra ver o Paul de novo, por exemplo...
Eles acham que todos podem vender a mãe pra ter R$200 e pagar num ingresso (pode valer pra um fã, quando na verdade, não vale isso). Eles acham que somos todos desocupados pra ficar horas na fila e ir a um show em plena segunda-feira.
E, mais, faria tudo isso por uma banda que curto, como já fiz pelo próprio UaR.
Mas que é descaso deles enem pensam que gente morre de fome no Brasil, isso é, sim...

Cláudio disse...

Desculpa, mas eu também sou fã do U2 e não entendi como a menina aí do comentário anterior.
Realmente acho que os organizadores acham que todos podem pagar os 200 reais do show, quando não é verdade. Vou pagar porque sou fã, mas te confesso que tô endividado por isso. Seri amelhor pagar menos e curtir numa boa. E sobraria dinheiro pra tomar uma cervejinha no show.

Ariett disse...

Bom, eu sinceramente acho que vc fez apologia à desigualdade social, Dantas. E você já começa no primeiro parágrafo do texto. E depois quando diz isso:

É triste ver que tem gente passando fome e, no mesmo quarteirão, onde mendigos se amontoam todos os dias aqui no Rio de Janeiro, ver uma fila com mais de 3000 pessoas que viraram noite e estão dispostas a gastar R$ 200 num ingresso!

E eu sinceramente acho que uma coisa não tem nada a ver com a outra.

Claaaaro que se o ingresso fosse mais barato eu iria adorar. Mas também não acho um exagero de preço, não. Tem gente que paga isso em um deputado, que eu acho que vale muito menos que o U2.

Anônimo disse...

Putz...essa discussão de se vale ou não vale é estéril. Adoro U2, mas não passo perrengue nem pago R$200 por um ingresso. Mas posso gastar R$1mil numa coisa que um fã do U2 acha besteira.
Quanto ao pessoal que passa fome na rua, vai continuar a passar fome. Na verdade, a classe "mérdia" do Brasil, nós inclusive que temos acesso à internet, estamos pouco nos lixando, sobrou uma grana eu vou é consumir mais, não vou comprar um almoço pro mendigo da esquina. Por que só o Accioly tem que ser benemérito?